Lina Bo: a mulher por trás do MASP

No dia 7 de novembro, o prédio que parece flutuar no vai e vem insano na principal avenida da cidade de São Paulo completou 50 anos. O MASP – Museu de Arte de São Paulo foi o primeiro museu de arte moderna do Brasil e hoje é um dos mais importantes do país.

É impossível passar pela Avenida Paulista e não nota-lo, talvez por ser tão notório, não é incomum que a obra seja creditada à Niemeyer – e pasmem, já ouvi isso saindo da boca de um instrutor de alguma excursão que passava pelo museu. Poucos sabem, mas a verdade é que o projeto do prédio é de uma mulher, a arquiteta Lina Bo Bardi.

Quem foi Lina Bo Bardi?

Achilina di Enrico Bo, conhecida como Lina Bo, nasceu em Roma e veio para o Brasil nos anos 40 após casar-se com o colecionador de arte italiano Pietro Maria Bardi. Lina se apaixonou pelo país, além de ser uma profunda amante da natureza tropical, e em 1951 naturalizou-se brasileira.

Lina Bo Bardi é uma das figuras mais importantes da arquitetura latino-americana, e apesar do grande reconhecimento que obteve mais tarde, enfrentou grandes dificuldades em sua carreira. Passou vários anos sem realizar projetos por ser mulher, estrangeira e buscar um estilo livre, solto, moderno, arriscado e totalmente diferente de tudo o que tinha sido feito na arquitetura até o momento. Era uma mulher extremamente competente e subjugada pela sociedade machista da sua época – típico, né?

A arquiteta acreditava que o espaço era construído pelas próprias pessoas, considerava a sua arquitetura um espaço inacabado, que deveria ser preenchido pelas pessoas que o frequentassem. Ao ser convidada para projetar o MASP, finalmente consegue aplicar seu estilo moderno, porém diretamente ligado com a cultura popular da cidade. Em 2016, o projeto arquitetônico de Lina recebeu o prêmio de 6ª melhor construção em concreto do mundo, do jornal britânico The Guardian.

Lina Bo Bardi viveu mais de 40 anos na capital paulista com o marido na Casa de Vidro, residência projetada por ela que ganhou este nome por sua fachada imponente de vidro que parece flutuar sobre os pilares.

A artista foi muito além da arquitetura: era apaixonada por teatro, design, e ainda na Itália foi dona da revista A Cultura della vita, desenhou objetos mobiliários, foi cenógrafa e artista plástica. Lina morreu em dezembro de 1992.

Conheça 4 obras da arquiteta que podem ser visitadas em São Paulo:

Casa de Vidro
Foto: Reprodução

Residência onde viveu com o marido por mais de 40 anos, foi o primeiro projeto construído de Lina e é considerado um ícone da arquitetura moderna brasileira, por possuir uma grande fachada de vidro sustentada por pilares, que dão a impressão de ser uma casa flutuante.

Na construção, o jardim cuidadosamente planejado e plantado pela própria Lina também chama a atenção. A vegetação rasteira da época transformou-se em floresta particular, com trilhas decoradas com pedras e cacos de cerâmica.

O que? Instituto Bardi – Casa de Vidro
Quando? De quinta-feira a sábados, 10h às 15h30. As visitas são guiadas por educadores e acontecem nos seguintes horários: 10h,11h30 14h e 15h30.
Onde? Rua General Almério de Moura, 200 – Morumbi
Quanto? R$10 e R$20

MASP
Foto: Reprodução

Como já falamos um pouco do MASP, vamos contar algumas curiosidades sobre o prédio. O terreno foi doado e uma das condições do doador e da Prefeitura era que a vista para o centro da cidade fosse mantida. Para atender à essas condições, Lina pensou em uma arquitetura com superfícies ásperas e sem acabamentos luxuosos, mantendo o seu estilo de modernismo atrelado à cultura local. A esplanada sob o edifício, conhecida como “vão livre”, foi pensada como uma praça para uso da população.

A obra de Lina Bo Bardi no MASP foi idealizada em cada detalhe. Os cavaletes de cristal, criados para expor a coleção no segundo andar do prédio, também fazem parte do projeto da arquiteta. Ao retirar as obras da parede, conseguimos notar como os cavaletes se tornam imponentes e fazem parte da arquitetura. Eles também possibilitam ao público um convívio próximo com o acervo e deixa os visitantes livres para criarem suas histórias durante a visita.

O que? MASP – Museu de Arte de São Paulo
Quando? Terça-feira a domingo, 10h às 18h.
Onde? Avenida Paulista, 1578
Quanto? R$17 a R$35, com entrada gratuita as terças-feiras.

Sesc Pompeia
Foto: Reprodução

O Sesc Pompeia era originalmente uma fábrica. Neste projeto Lina teve o desafio de transformar o espaço na estrutura exigida para acomodar o Sesc, sem perder o seu traço moderno. A grande inovação desta obra foi o palco redondo do teatro, que propicia que a plateia tenha uma visão 360° do espaço. Outro fato curioso desta obra são os assentos desconfortáveis, que muitos pensam ter sido um erro do projeto, mas na verdade foram feitos de maneira propositalmente, para poder passar uma mensagem:

Os estofados aparecem nos teatros áulicos das cortes, no setecentos e continuam até hoje no ‘confort’ da sociedade de consumo.

Cada área deste projeto tem a intenção de se conectar com a outra, de mostrar para o público que ali é um espaço onde tudo é possível. Os espaços por ela mesmo ditos “feios” e inacabados convidam a serem construídos e reconstruídos, para no próprio uso ganharem significados diferentes.

O que? Sesc Pompeia
Quando? Terça-feira a sábado, 9h às 22h. Domingos e feriados, 9h às 20h
Onde? Rua Clélia, 93 – Pompeia
Quanto? Gratuito

Teatro oficina
Foto: Reprodução

O Teatro Oficina foi uma das últimas obras de Lina, projetada já na década de 90. Originalmente construído na década de 60, por José Celso Martinez Correa, o espeço funcionava como um teatro-manifesto, marcado por grandes espetáculos: expressões teatrais, apresentações de música, dança e performances, além do nascimento do Tropicalismo faziam parte da história do espaço.

Mas em 1966 o prédio pegou fogo, o que alterou a sua arquitetura. Na década de 90 Lina se inspirou no MASP para transformar a antiga arquitetura em um teatro-pista, com paredes de vidro e amplo local de passagem entre as fileiras e andares. Atualmente o teatro recebe várias peças, filmes, séries e exposições.

O que? Teatro Oficina
Quando? Consultar programação no site.
Onde? Rua Jaceguai, 520 – Bela Vista
Quanto? Valores variáveis de acordo com a programação.