#GMFIndica – Agenda de 12 a 18/07

Nós sabemos que São Paulo não para e é difícil acompanhar tudo o que rola por aqui, e é pensando nisso que fazemos o #GMFIndica! Aqui nós separamos os melhores eventos da cidade feito por mulheres.

Veja o que separamos para essa semana mais curtinha pós-feriado:

12/7
Kasala! | Mostra de cinemas africanos

Um jovem de um subúrbio de Lagos leva o carro de seu tio para se divertir com os amigos. As coisas se complicam quando eles têm um acidente e apenas cinco horas para coletar dinheiro e consertar o dano antes que seu tio retorne. Uma comédia em ritmo acelerado que, segundo a própria diretora, é um reflexo de sua vida na Nigéria.

O filme da nigeriana Ema Edosio integra a Mostra de Cinemas Africanos.

Quando? 12 e 15/7. Sexta, 21h, segunda, 17h
Onde? Cinesesc | Rua Augusta, 2075 – Cerqueira César
Quanto? R$3,50 a R$12. Ingressos: http://bit.ly/2LclPN0

A luta de Silas | Mostra de cinemas africanos

Com uma rede de dedicados repórteres-cidadãos ao seu lado, o experiente ativista liberiano Silas Siakor desafia o status quo, dominado por corrupção e nepotismo, em sua luta pelas comunidades locais.

O filme das diretoras Anjali Nayar e Hawa Essuman integra a Mostra de Cinemas Africanos.

Quando? 12 e 16/7. Sexta, 17h, terça, 15h
Onde? Cinesesc | Rua Augusta, 2075 – Cerqueira César
Quanto? R$3,50 a R$12. Ingressos: http://bit.ly/2YMgf7c

Ana Cañas

A cantora e compositora apresenta show do disco Todxs (2018), cujas músicas têm letras repletas de lirismo, subjetividade e beats eletrônicos pesados. Após o sucesso do disco Amor e Caos (2007), pelo qual foi considerada a revelação musical do ano pela crítica especializada, a cantora lançou Hein? em 2009, e em 2015 foi a vez de seu primeiro disco totalmente autoral To na Vida.

Quando? 12 a 14/7. Sexta e sábado, 21h, domingo, 18h
Onde? Sesc Belenzinho | Rua Padre Adelino, 1000 – Belém
Quanto? R$6 a R$20.

O espetáculo Olívia utiliza a palhaçaria para falar sobre gordofobia | Foto: Renato David
O espetáculo Olívia utiliza a palhaçaria para falar sobre gordofobia | Foto: Renato David
Olívia

O espetáculo usa o universo lúdico e lírico do clown para incentivar o olhar para o tema da gordofobia. Lugares comuns postos em afirmações como: a mulher gorda é descontrolada, sem força de vontade, não tem saúde, beleza e tampouco sensualidade são desconstruídos com humor.

Quando? 12 a 14/7. Sexta e sábado, 20h, domingo, 17h
Onde? Sesc Belenzinho | Rua Padre Adelino, 1000 – Belém
Quanto? R$9 a R$30. Ingressos: http://bit.ly/2JztxgU

Anelis Assumpção

Taurina faz referência não só ao astrologicamente conhecido signo dos teimosos e gulosos, como reflete uma sutil elaboração comparativa entre a mulher e a vaca – animal generoso que alimenta o ser humano ou endeusada, aparece como divindade em culturas orientais. Um animal que, resignado, se doa e serve. Ou ainda com o termo usado como xingamento para mulheres de atitude que incomodam. Taurina também é silêncio.

Quando? 12/7. Sexta, 23h
Onde? Mundo Pensante | Rua Treze de Maio, 830 – Bixiga
Quanto? R$20 a R$35. Ingressos: http://bit.ly/2JqyBFB

Brasil e África: ressonâncias femininas

Neste recital lítero-musical vamos apresentar textos da escritora Carolina de Jesus e poemas e textos escritos por mulheres negras (poetas africanas e poetas afro brasileiras) que serão apresentados em formato de declamação e performance pelas poetas Luz Ribeiro e Natasha Felix. Contaremos com a participação das cantoras Neide Nell e Paulla Zeferino acompanhadas pelos músicos instrumentistas Liw Ferreira (violão), Beatriz Pacheco (saxofone) e Danilo Moura (percussão). Com participação da dançarina Terená Kanouté. Direção musical de Gabriel de Almeida Prado, roteiro e direção geral de Fernanda de Almeida Prado.

Quando? 12/7. Sexta, 19h30
Onde? Sesc Pinheiros | Rua Paes Leme, 195 – Pinheiros
Quanto? Grátis.

Sandra de Sá & Elas, o baile

Com o show Sandra de Sá & Elas, o Baile, a cantora traz seu repertório clássico, que inclui canções como Olhos Coloridos, Vale Tudo, Bye Bye Tristeza, intercaladas com diversas reinterpretações da MPB, Soul, Samba e Funk. Sobem ao palco com Sandra de Sá, Simone Malafaia e Nanda Fellyx os músicos Junior Macedo (guitarra), Bebeto Sorriso (percussão), Rodrigo Menezes (baixo), Felipe Martins (bateria) e Asbel Cezar (teclado).

Quando? 12 e 13/7. Sexta e sábado, 21h30
Onde? Sesc Belenzinho | Rua Padre Adelino, 1000 – Belém
Quanto? R$12 a R$40.

13/7
Goma-laca: lançamento do álbum “Cantos populares do Brasil de Elsie Houston”

O grupo Goma-Laca lança seu segundo álbum, Cantos Populares do Brasil de Elsie Houston, que visita a publicação Chants Populaires du Brésil da cantora e folclorista Elsie Houston. Raro e até hoje inédito no país, o livro de 1930 inclui modinhas, emboladas, temas do candomblé, chulas, tiranas, cocos, jongos, cirandas e temas indígenas, muitos deles anotados pela própria cantora em suas viagens por Minas Gerais, Paraíba, Bahia, Pernambuco e Amazonas nos anos 1920.

Com Alessandra Leão (voz e percussão), Marcos Paiva (contrabaixo acústico), Felipe Massumi (cello), Rodrigo Caçapa (violas dinâmicas), Júnior Kaboclo (flautas), Beto Montag (vibrafone) e participação de Pastoras do Rosário da Penha (voz), Lívia Mattos (acordeom), Marcelo Pretto (voz) e Siba (voz).

Quando? 13/7. Sábado, 21h
Onde? Sesc Pinheiros | Rua Paes Leme, 195 – Pinheiros
Quanto? R$9 a R$30. Ingressos: http://bit.ly/2xGauvD

Foto: José de Holanda
As vozes femininas no Cemitério da Consolação

Idealizado pela guia de turismo e pesquisadora Angela Arena, o passeio tem como objetivo revelar o universo feminino no Cemitério da Consolação de modo a apontar as mulheres de maior vulto pelas posições de destaque que alcançaram na história.

Quando? 13/7. Sábado, 13h
Onde? Cemitério da Consolação | Rua da Consolação, 1660 – Consolação
Quanto? R$45. Ingressos: http://bit.ly/2JxaTGv

Fabiana Cozza: Show dos Santos

A intérprete volta-se à riqueza do universo da mitologia africana iorubá para trazer à cena canções inéditas e releituras de temas que exploram as histórias e mitos de deuses e deusas que integram o panteão dos orixás. No show, a riqueza das canções inéditas entremeadas de clássicos do gênero, visita a história do povo negro, dialoga com a ancestralidade, a cultura e a diáspora africana brasileira. Para vesti-las, Cozza propõe uma sonoridade inusitada para esta qualidade de repertório acompanhada pelo baixista Fi Maróstica, que assina a direção musical, e uma dupla de percussionistas.

Quando? 13/7. Sábado, 16h
Onde? Sesc Ipiranga | Rua Bom Pastor, 822 – Ipiranga
Quanto? Grátis.

Tchella

Comemorando o aniversário do álbum Transmutante, a atriz, cantora e compositora Tchella prepara um show especial para gravar um DVD e a versão acústica do álbum Transmutante. Acompanhada pelo violonista, bandolinista e compositor Antonio Dantas, Tchella interpreta as canções de seu álbum de estreia, além de fazer releituras de grandes artistas e compositoras.

Quando? 13/7. Sábado, 21h
Onde? Teatro de Utopias | Rua Duílio, 46 – Barra Funda
Quanto? R$20 a R$50. Ingressos: http://bit.ly/2JqXvVA

Sofia | Mostra de cinemas africanos

Sofia tem 20 anos e mora com seus pais em Casablanca, Marrocos. Em negação sobre a própria gravidez, ela acaba por quebrar as leis de seu país ao dar à luz um bebê fora do casamento. O hospital concede um prazo de 24 horas para que ela forneça a documentação do pai da criança antes de informar o crime às autoridades.

O filme da diretora Meryem Benm’Barek integra a Mostra de Cinemas Africanos.

Quando? 13 e 15/7. Sábado, 21h, segunda, 19h
Onde? Cinesesc | Rua Augusta, 2075 – Cerqueira César
Quanto? R$3,50 a R$12. Ingressos: http://bit.ly/2XBsTcn

Foto do espetáculo Fissura
Fissura aprofunda a relação com o outro e a percepção dos limites dos corpos | Foto: Divulgação
Irmandade + Lua Nova | Mostra de cinemas africanos

Irmandade, filme de Meryam Joobeur, conta a história de Mohamed, um rígido pastor que vive na zona rural da Tunísia com sua esposa e dois filhos. Mohamed fica profundamente abalado quando seu filho mais velho, Malik, retorna para casa após uma longa viagem com uma misteriosa nova esposa. A tensão entre pai e filho aumenta ao longo de três dias até atingir o limite.

No documentário Lua Nova, a cineasta Philippa Ndisi-Herrmann embarca em uma espontânea jornada para entender os caminhos da sua própria fé. Neste documentário, acompanhamos a diretora na descoberta de uma nova espiritualidade e no confronto às contradições e complexidades da religião que escolheu para si.

Os filmes integram a Mostra de Cinemas Africanos.

Quando? 13 e 16/7. Sábado, 17h, segunda, 19h
Onde? Cinesesc | Rua Augusta, 2075 – Cerqueira César
Quanto? R$3,50 a R$12. Ingressos: http://bit.ly/2S5pIUw

Bate-papo: Cara e corpo na era digital – acesso ao conhecimento de quem, para quem?

Bate-papo com Mariana Valente, pesquisadora de direitos humanos e políticas de internet, direito autoral e acesso à cultura, ao conhecimento e à educação, gênero, direitos das mulheres e tecnologia. Diretora do InternetLab (pesquisa em direito e tecnologia) e coordenadora do Creative Commons Brasil, ela é também doutora em sociologia jurídica pela USP e pesquisadora do Núcleo Direito e Democracia do Cebrap.

Quando? 13/7. Sábado, 11h
Onde? Estação Pinacoteca | Largo General Osório, 66 – Luz
Quanto? Grátis. Inscrições: http://bit.ly/2LcaZGI

14/7
Bate-papo: Grada Kilomba

Grada Kilomba (Lisboa, 1968) é escritora, teórica, psicóloga e artista interdisciplinar. Seu livro Memórias da Plantação (Ed. Cobogó, 2019), publicado originalmente em 2008, é uma compilação de episódios do racismo cotidiano, baseado em conversas com mulheres da diáspora africana.

Quando? 14/7. Domingo, 18h
Onde? Sesc Pompeia | Rua Clélia, 93 – Pompeia
Quanto? Grátis. Retirada de ingressos a partir das 17h na bilheteria da unidade

15/7
Clube de poesia: As Helenas de Troia, NY

O encontro mediado e organizado por Isabella Martino pretende discutir o livro As Helenas de Troia, NY, da escritora Bernadette Mayer. A partir de entrevistas com todas as Helenas da pequena cidade de Troia, Nova Iorque, ela convida o leitor a explorar as diferentes identidades por trás de um mesmo nome. As preocupações destas Helenas, suas próprias trajetórias e o passar do tempo também pertencem à poeta e sua obra. Articuladora do projeto, a autora transforma sua performance poética em uma amostra do que significa viver em comunidade, dividir uma cidade, compartilhar um nome – algo que, de uma forma ou outra, todos fazemos.

Quando? 15/7. Segunda, 19h
Onde? Biblioteca Mário de Andrade | Rua da Consolação, 94 – Anhangabaú
Quanto? Grátis.

16/7
Desconstruindo estereótipos dos cinemas africanos

A produção cinematográfica africana e da sua diáspora não foi reconhecida pela sua qualidade, variedade e criatividade até recentemente. Para compreender a situação atual de circulação e consumo desses filmes, o bate-papo com Lúcia Monteiro, Ana Camila, Beatriz Leal e Jusciele Oliveira reflete sobre quais são as expectativas de um espectador que se interessa por “filmes africanos”, e sobre como a variedade de histórias, gêneros e narrativas definem os cinemas africanos contemporâneos. Além disso, a discussão aborda como esses filmes estão inseridos em uma rica e complexa história audiovisual de mais de meio século, na qual os diretores da África e da diáspora usaram o cinema para recuperar sua memória, defender sua história e exaltar suas tradições, propondo alternativas ao neocolonialismo do capitalismo racial, e se representando nas telas sem mediações.

A atividade integra a Mostra de Cinemas Africanos.

Quando? 16/7. Terça, 19h30
Onde? Cinesesc | Rua Augusta, 2075 – Cerqueira César
Quanto? Grátis.

Sempre um papo: Aline Bei

A jovem escritora fala de seu romance de estreia, O Peso do Pássaro Morto (Ed.Nós), vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura de 2018 na categoria Melhor Romance de Autor com Menos de 40 anos. O livro conta a história de uma mulher dos 8 aos 52 anos, numa trajetória marcada por perdas. Um livro denso e leve, violento e poético. Assim é O Peso do Pássaro Morto, que mostra a vida de uma mulher que, com todas as forças, tenta não coincidir apenas com a dor de que é feita.

Quando? 16/7. Terça, 19h30
Onde? Sesc 24 de Maio | Rua 24 de Maio, 109 – Centro
Quanto? Grátis.

18/7
Jarid Arraes: Redemoinho em dias quentes

Conhecida por seus cordéis, em Redemoinho em dia quente Jarid Arraes estreia no gênero dos contos. Focando as mulheres da região do Cariri, no Ceará, suas histórias desafiam classificações e misturam realismo, fantasia, crítica social, além de revelarem uma rara habilidade de retratar o cotidiano público e privado das mulheres.

O evento conta com bate-papo com a escritora e Marcelino Freire, exposição fotográfica com fotografias clicadas pela própria autora, Jarid Arraes, enquanto escrevia o livro e buscava inspiração pelas cidades do Cariri.

Quando? 18/7. Quinta, 19h30
Onde? CCSP | Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso
Quanto? Grátis.

Foto de Jarid Arraes
Conhecida por seus cordéis, Jarid Arraes lança seu primeiro livro de contos | Foto: Divulgação
Fissura

O espetáculo Fissura aprofunda a relação com o outro, a percepção dos limites dos corpos e a possibilidade de resistir e existir em busca do encontro com outros corpos. Assim, o espetáculo busca promover a abertura de uma fenda profunda na percepção dos nossos próprios desejos e devastações, para que talvez haja o encontro das diferenças e o assombro das semelhanças em uma coexistência sinestésica no tempo e no espaço.

Ficha técnica
Direção e dramaturgia geral: Maria Amélia Farah
Assistência de direção: Caio Balthazar
Elenco: André Araújo, André Camargo, Caio Balthazar, Camila Brandão, Carolina Lacerda, Drica Czech, Francisco Leal, Giovani Venturini, Gustavo Correa, Isabella Mariotti, Rebecca Catalani e Rodrigo Vaz.

Quando? 18 a 21/7. Quinta a sábado, 21h30; domingo, 18h30
Onde? Sesc Pompeia | Rua Clélia, 93 – Pompeia
Quanto? R$6 a R$20. Ingressos: http://bit.ly/2G4oJz7