#GMFIndica – agenda de 23 a 29/05

Procurando o que fazer em São Paulo? O Guia Maria Firmina indica os melhores eventos feitos por mulheres ou que coloquem a mulher em destaque  para você. Vamos fortalecer a arte das mana!

23/05

[Bate-papo]
Leonora Áquilla contida: Virgínia Rosa com mediação de  Ikaro Kadosh

Bate papo musical com apresentações de personalidades do Universo LGBTQI’s e suas trajetórias.

Leonora Áquila é jornalista, repórter e performer, com trabalhos no rádio, teatro, cinema e televisão. Aos 45 anos, assumiu a identidade feminina.

Nos últimos anos, cresceu com suas participações no programa Noite Afora, comandado por Monique Evans. Passou a participar do programa Bom Dia Mulher e TV Fama, adquirindo, assim, experiência para comandar seu próprio programa de internet, Showrnalismo.

Virgínia Rosa iniciou sua carreira na década de 80, com uma biografia eclética na MPB, interpretando músicas de compositores consagrados de diversos ritmos e tradições.

Mediação de Ikaro Kadoshi, personalidade do universo andrógino, artista brasileiro com sólida carreira internacional.

Quando? 23/05 | 20h às 21h30
Onde? Sesc Belenzinho – Rua padre Adelino, 1000
Quanto? Gratuito

[Dança]
Por Um fio ou Como Continuar Existindo
Com Morgana  Apuama

Uma performance manifesto que questiona modos possíveis para o corpo negro continuar, resistir e prosseguir em potência. Um exercício do desejo por existência e continuidade, alterando a lógica de mobilidade e questionando pressões, opressões e princípios hegemônicos e normativos.

Morgana Apuama iniciou sua carreira em danças urbanas em 1999, dando ênfase a dança Breaking. Em 2008 iniciou seus estudos em dança contemporânea, e mais tarde em performance. Em seus trabalhos permeiam o hibridismo do diálogo entre dança, artes visuais, fotografia e performance. Cria, dança, dirige e produz trabalhos que combatem o racismo, machismo, genocídio e a homofobia. É mulher preta, paulistana, mãe solo e feminista.

Quando? 23/05| 19h30 às 22h30
Onde? Sesc Ipiranga – Rua Bom Pastor, 822
Quanto? Gratuito

[Exposição]
Terra, Propriedade e Sociedade

A construção dos termos terra, propriedade e sociedade, seus significados e intersecções são temas dos trabalhos reunidos no conjunto expositivo. A exposição é composta por quatro módulos:

– Em Meio à Multidão Me Perdi em Mim, com obras de Artur Arnold;

– Equalizador para Horizontes Distantes, de Marcelo Moscheta;

– Exercício Construtivo para uma Guerrilha Sem Terra, com fotografias de Jonathas Andrade; e

– Mulher, Terra: Corpo-território, com Mag Magrela, Hanna Lucatelli, Bruna Menezes e Ryane Leão.

Quando? de 22/02 a 30/06| terça à sexta das 10h às 21h| sábado das 10 às 19h| domingo das 10 às 18h
Onde? Sesc Santana – Av. Luiz Dumont Villares, 579
Quanto? Gratuito

[Música]
Quinta + cedo com Karina Buhr

No palco apenas Karina, os tambores e o guitarrista Regis Damasceno. São duas congas, ilú, alfaia, pandeiro, xequerê, ganzá e outras percussões que dão o pulso pra poesias recitadas do seu livro “Desperdiçando Rima”, intercaladas por músicas também autorais inéditas e algumas do repertório de seus discos solo com arranjos bem diferentes dos feitos com banda e mais próximos do que eram essas músicas quando foram criadas por Karina, só com percussão e voz.

Quando? 23/05| 21h às 23h
Onde? Mundo Pensante – Rua Treze de Maio, 733
Quanto? R$15 a R$20 (ingressos: http://bit.ly/karinabuhrmp)

25/05

[Cinema]
Cine Sapatão de maio: Sopa de letrinhas, pra que te quero?

Neste encontro, o Cine Sapatão propõe três curtas para refletir sobre a sopa de letrinhas da sigla LGBTQ+, os processos de formação de identidades e corporalidades e modos de estar no mundo hoje.

PROGRAMAÇÃO
15h – Boas vindas!
15h10 – Lançamento e apresentação do livro “Feminismo para os 99%: um manifesto” de Cinzia Arruzza, Tithi Bhattacharya e Nancy Fraser (Boitempo, 2019).
15h30 – Exibição “As verdades de Ale em nós” (Dir. Juslaine Abreu Nogueira, 24′, PR)
15h55 – Exibição “Entre os ombros” (Dir. Carolina Castilho, 20′, 2016, SP)
16h15 – Exibição “Tailor” (Dir. Calí dos Anjos, 10′, 2017, RJ)
16h25 – Conversa com convidades: Daniela Auad e Alexandre Peixe dos Santos.
18h – Encerramento. Continuação no bar Madri, na Rua Caio Prado, esquina com Frei Caneca.

Quando? 25/05| 15h às 18h
Onde? Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo – Embaixo do Viaduto do Chá
Quanto? Gratuito

[Teatro]
Medusa Concreta

A peça se debruça sobre o mito de Medusa a partir da versão do poeta Ovídio. Com canções autorais e uma banda que acompanha toda a peça, pois a música perpassa todas as cenas, a montagem parte do mito de forma não linear para falar sobre diversos aspectos da contemporaneidade, entre elas, o patriarcado na literatura e mitologia, a cultura de estupro e a culpabilização da vítima, da mulher. E falar também da destruição dos mitos, especialmente na concretude paulistana, com suas narrativas e contradições num diálogo com o centro da capital paulista. Uma peça da cia. lct e quarteto à deriva.

Quando? 25/05| 18h às 19h30
Onde? Sesc Bom Retiro – Alameda Nothmann, 185
Quanto? Gratuito

[Literatura]
Leia Mulheres SP – Maria Firmina dos Reis

Este mês será discutido o livro “Úrsula”, de Maria Firmina dos Reis. “Úrsula” (1859), primeiro romance escrito por uma mulher, negra, e com temática abolicionista foi de Maria Firmina, que omitiu sua identidade assinando como “Uma Maranhense”. Além do romance de estreia, a escritora tem diversos poemas e contos publicados.

O encontro será mediado pela Juliana Leuenroth e pela Michelle Henriques.

Quando? 25/05| 16h às 18h
Onde? Centro Cultural São Paulo
Quanto? Gratuito

29/05

[Literatura]
Escrita Criativa Mijba: Espalhando Sementes da Literatura Feminina

O Ciclo de Narrativas Pretas propõe a realização de oficinas voltadas para o público jovem e adulto, nas quais as integrantes do Sarau das Pretas partilham seus saberes e vivências. Inclui a realização de quatro oficinas, um sarau e um bate-papo com convidadas especiais, no qual os participantes das oficinas podem partilhar os saberes e conhecimentos adquiridos. Essas atividades compõem o projeto Do 13 ao 20.

A palavra “majiba” é originária de Zimbábue, da língua chona, e significa “jovem mulher revolucionária”.

Essa oficina traz a proposta de apresentar escritoras negras femininas periféricas, visibilizar suas produções e exercitar o fazer literário. Fomentar e difundir a produção literária negra feminina é pluralizar suas vozes e considerar que elas assumem um importante papel social e para a cultura negra popular. As participantes terão a oportunidade de vivenciar momentos de reflexão e ludicidade, envolvendo leitura e bate-papos sobre o universo da literatura negra feminina. Como finalização da oficina, as participantes serão convidadas a produzir e apresentar suas próprias criações literárias.

Quando? 29/05| 19h às 22h
Onde? Sesc Pompeia – R. Clélia, 93 – Água Branca
Quanto? Gratuito